DEBATES LIVRES



Livre

OLHOS LIVRES - CCBB Rio - Cinema 1 / RJ

Mesa com Francisco Cesar Filho e Luis Rocha Melo, mediação de Dario Gularte.

Carlos Oscar Reichenbach Filho já foi chamado de o cineasta mais pretensioso da Boca do Lixo. Na verdade, Carlão foi um socialista utópico, como se autodefinia, e um grande provocador, não se deixando levar por tendênciasou engajamentos superficiais. Misturou a chamada pornochanchada" ou o Cinema de Invenção, como Jairo Ferreira preferia chamar o gênero surgido do grupo da São Luiz, com suas convicções políticas e experimentações estéticas. Ele, influenciado tanto pelo cinema oriental quanto por Candeias e Mojica, dentre outros colegas de geração da Boca, declarava: "Sempre me interessou fazer dialogar o repertório popular e o erudito".

Dividindo sua obra em uma dualidade de filmes "masculinos" e "femininos", suas personagens e suas histórias se alternam para apresentar o ponto de vista do diretor sobre sociedade, comportamento e política.

Sem medo nem pudor, Carlão fazia uso do erotismo e da nudez como recurso, muitas vezes um fetiche para expor a hipocrisia e os tabus da época. Em outras ocasiões, destacava com sua visão cosmopolita paulistana a diversidade do operariado brasileiro, na composição dessa camada na sociedade e em como ela consegue dar a volta por cima nas dificuldades do cotidiano.

Em seu escopo e com toda a liberdade autoral, sempre primaram Eros e revolução como palavras de ordem.

Dario Gularte

Debates Livres

No dia 23-03-2013 às 20:00h (Sábado) no CCBB Rio - Cinema 1 / RJ




    2002 - 2013 MFL | Mostra do Filme Livre | Tecnologia Rivello/Menta | Produção WSET Multimídia